Pages

quarta-feira, fevereiro 13, 2008

Cobrança, frustração e aprendizado


Segundo o dicionário Houass da Língua Portuguesa temos as seguintes definições:

Cobrança: ato ou efeito de cobrar ou receber quaisquer dívidas ou donativos.

Frustração: estado de um indivíduo quando impedido por outrem ou por si mesmo de atingir a satisfação de uma exigência pulsional.

Aprender:
adquirir conhecimento (de), a partir de estudo; instruir-se

Não sei se vocês se lembram do teste dos 3.000 metros que fiz cerca de um mês atrás. Pois bem. Este teste é realizado mensalmente. E hoje foi o dia do segundo teste do ano de 2008 e o meu segundo na RFL. O primeiro realizei em 15’05’’.

Às 6hs em ponto já estava participando do alongamento. Graças a "senhora Ansiedade", hoje consegui chegar no treino sem atraso. Mas enquanto me alongava, comecei a sentir uma certa cobrança em relação ao tempo que deveria completar os 3.000m.

Durante o aquecimento, minha ansiedade foi aumentando a cada volta que eu dava na pista. Passava mil coisas (bobas) em minha cabeça. Pensamentos do tipo: “Ah.. acho que vou tentar baixar meu tempo em um minuto em relação ao último teste”. “Mas imagina se eu não conseguir.. que vergonha vai ser”.

E ao invés de eu “me descontrair” com o aquecimento, eu estava ficando cada vez mais tensa.

Chegou a hora. Todos já posicionados na largada. Escuto pessoas dizendo umas para as outras em quanto tempo pretendiam realizar o teste. Acordei com “grito” do apito... e lá fomos nós. Boa parte do pessoal começou a correr numa velocidade muito forte.

Esse foi meu grande erro, querer me moldar aos outros. Para piorar minha situação, ao meu lado tinha um rapaz que estava auxiliando umas meninas para que não perdessem o ritmo. E ao invés de eu prestar atenção na minha corrida, eu prestava atenção nele. Pronto, minha concentração foi para o espaço.

O primeiro quilômetro eu fechei em 4’30’’. Eu puxei demais e nos metros seguintes fui ficando cada vez mais distante das pessoas que corriam a minha frente. Neste momento meu psicológico começou me atrapalhar ainda mais. Pensei: “Vou desistir do teste agora”.... em seguida pensei: “Mas imagina que vergonha. Se não dou conta de um teste deste de 3km, imagina então correr uma Maratona!”.

Continuei correndo, sem concentração alguma. Não precisou mais que três pensamentos de desistência. EU DESISTI. Em quanto todos completavam os 3.000m eu peguei minhas coisas, tomei banho e fui embora. ABSOLUTAMENT FRUSTRADA!

Fiquei com um sentimento de derrota e vergonha. Fui trabalhar extremamente chateada, me sentindo uma incompetente, afinal estou treinando duro para não falhar (quem escuta um pensamento deste acha que a pobre coitada aqui é a mulher maravilha!). Era a única coisa que conseguia pensar.

Passado algumas horinhas, esfriei um pouco a cabeça e comecei a pensar o porque de tanta cobrança. EU SEMPRE CORRI POR PRAZER. Eu não sou atleta profissional. Não sou mulher maravilha. Não posso querer exigir algo que não está no meu alcance.

Comecei a refletir e tentei descobrir qual o ponto chave que fez com que eu não completasse o teste. Passaram inúmeras coisas em minha cabeça, mas o que realmente predominou foi a cobrança de eu estar treinando e “achar” que preciso melhorar drasticamente meu tempo. BASTA...

Já coloquei os pés no chão. E sei que se eu continuar com este tipo de pensamento e atitude é melhor eu “pendurar as chuteiras” e esquecer a maratona.

O processo é gradativo e tenho que entender que ninguém pode ganhar sempre. Ainda estou no início do treinamento. Mais consciente, liguei para a professora Mônica e perguntei se ela iria aplicar o teste para o grupo noturno. Ela disse que sim e eu resolvi voltar lá e realizar o teste.

Fui e fiz. Para minha infelicidade ou felicidade, o meu relógio ficou sem bateria e fiquei sem referência. Enfim, fechei o teste em 14'47'' equivalente à 4'55''/km.

O dia de hoje foi um verdadeiro aprendizado. Tenho certeza que coisas deste tipo acontecem em nossa vida para tirarmos uma lição. E posso garantir que a partir disso aprendi muita coisa. Uma delas é que não posso deixar pequenos percalços atrapalhar o foco de todo este treinamento: a MARATONA.


Acreditem. Hoje acabei de crêr... a Jacke aqui está longe de ser a mulher maravilha!

BONS TREINOS

14 comentários:

Mayumi disse...

Eta, Jacke maravilha! Vamos de trio maravilha! Rsrs. Já que você já descobriu o meu blog, posso postar aqui sem medo! Rs.
Hoje boicotei 2 km de meu treino! Rs. Mas, tudo bem, já me entendi com o treinador! Rs. Eu vou com calma, na minha... pressão comigo não funciona! Kkk. Vamos fazer as meias? Eu vou a 9 km/h, rsrs, no trotinho... só não gosto de tumulto!
Olha, tem uma música japonesa que diz mais ou menos assim: não preciso ser a número um do mundo, pois sou a única a ser igual a mim. Vejam as flores de dentro do balde. Todas elas são bonitas, tem sua beleza diferente, mas todas estão lá, orgulhosas de si mesmas. Nenhuma se compara a outra. Por que as pessoas tem que se comparar às outras? Eu sou única no mundo! Rsrsrs. Se vc quiser, depois lhe ofereço esta música pela Rádio Banzai (www.radiobanzai.com.br) na internet! Ou se vc quiser pode pedir vc mesa que eles tocam: "Sekai de hitosu dake no hana" do grupo Smap. A melodia é gostosa de ouvir, mas a letra é japonesa! Desculpe-me... tb sou única! Kkkk. Boa noite e bons treinos! Bjs.

claudia marchetti disse...

Jacke,

Eu te admiro muito...
Sabe por que?
Porque vc imediatamente responde as suas incertezas sempre com sabedoria!
Vc é Mulher Maravilha, sim !!!!
Vc é persistente, corajosa, determinada, mãe, esposa, dedicada...
Vc é d+!!!
Continue assim, breve teremos mais uma Maratonista!!!!
Super bjs e bons treinos!!!

Cláudia Marchetti

Lénia disse...

Você é mulher maravilha todos os dias sempre que às 6 da manhã está lá fora de pé afincado no chão e de noite quando chega a casa e trata dos seus filhos e marido com muito amor.
Isso é ser mulher maravilha, e acima de tudo sempre com um sorriso no rosto.

Beijo grande, às vezes é mesmo assim, temos de passar por isso. Sorte a sua que só lhe durou um dia, comigo pode durar semanas.

Beijo outra vez.

Wladimir Azevedo disse...

Jacke,

não é atoa que muitos dizem que praticar corrida é uma TERAPIA.

Nossa... quantas coisas você aprendeu e refletiu em um mesmo dia, e ainda por cima, praticou a superação.

PARABÉNS...

Eu, a todo momento, digo para mim : CORRO POR PRAZER E PELA MINHA SAUDE, POR ISTO ESTOU AQUI !!!

Um grande abraço e que venha a Maratona de POA.

Andres Lopez disse...

Oi Jacke!

Teve dois pontos que você relatou neste post que eu ja passei pelo mesmo:

- Tentar acompanhar o ritmo dos outros
- Ansiedade

Estas duas são uma das piores coisas que não podemos fazer, pois acompanhar um ritmo que não é o seu ritmo, você renderá muito menos e a ansiedade atrapalha completamente nosso psicológico e até fisiológico.

Mas parabéns pelo teste! Mesmo sem referência, você fez um belo tempo!

Abraço!

Andres

Jorge disse...

Boa noite Mister Jackeline, todos os dias quando posso venho aqui no seu blog, ver se tem postado coisas novas, para aprender também, aí vc vai se encucar dizendo pq o Jorge vem aqui para aprender, já que ele é maratonista, pois é praticamente eu vou em todos os blogs para aprender, me desculpe o que vou falar e espero que vc não se chateia comigo ou que o tal anônimo venha me criticar aqui...rsss...mais através dos erros das outras pessoas também a gente aprende. Olhe quando vc estiver em uma corrida, e vir as adversidadeS, pense sempre positivo e pense que tudo vai dar certo.
Bom não preciso ficar dizendo mais coisas aqui né pq vc já reconheceu os dois erros no relato e os amigos acima já deram muitas dicas para vc e pense o seguinte, ninguém é perfeito até os ATLETAS de elite cometem erros, exemplo disso foi o Franck Caldeira na corrida de São Silvestre no final do ano a Lucélia Peres em uma das meia maratonas aqui no RJ. Bola para frente MULHER MARAVILHA.
Desejo a vc um bom final de semana e parabéns pelo teste.
JORGE CERQUEIRA

Anônimo disse...

Jacke,

Relaxe....Lindo o seu dia e seu texto Bela aprendizage.
"Pela graça vivo. Pela graça sou liberada".

Abraços Corridos

Profª Mônica Peralta

Ms Harkins disse...

Bom saber que todas nós passams pelas mesmas coisas :-) Nao tens idéia quão reconfortante foi ler teu relato. Abraço

Thiago Rolemberg disse...

Jacke! Imagine se não existissem esses desafios e erros de nossa parte. A vida seria muito chata. Perfeita demais! Esse gostinho passageiro de derrota serve para logo depois saborearmos a grande vitória! Acho que quem vive só de vitórias e nunca experimentou o oposto, não sabe realmente o que é a vitória!
Não sou a voz da verdade, nem sabichão e muito menos o Lair Ribeiro (rs) mas venho aprendendo muito sobre isso ultimamente. Se pararmos de pensar negativamente e encararmos as derrotas apenas como um passo para o sucesso, seremos muito mais felizes! É tira-gosto!

bjs e mantenha o foco no seu objetivo!

Anônimo disse...

Olá Jacke,

Achei ótimo o seu texto. E o treino é isso. A cada dia um aprendizado. E isso é pra tudo. Na corrida, na vida, no trabalho... É a primeira vez que ouço alguém dizer que voltou no mesmo dia para refazer o teste dos 3.000 mts. Confesso que já fiquei ansiosa, senti medo, não dormi direito e isso só atrapalha. Hoje, faço o que tenho condições de fazer naquele momento. Sem cobranças. Sem medo. Tranqüila. Tudo a seu tempo. Os resultados aparecerão naturalmente, pode ter certeza.
Só de estarmos lá, já somos vencedoras!
Parabéns pela sua superação e resultado.

Patricia Vismara

António Almeida disse...

Jacke

como vocé mesmo diz, sempre correu por prazer, continue a fazer isso...
Continuação de bons treinos.

PS) Mesmo que não conte muito saiba que a admiro bastante, conciliar as 3 vertentes (família, profissão e a corrida) não está ao alcance de todos...para mim, vocé é, sim, mais uma mulher maravilha, que felizmente ainda vão existindo, mas isto é só o meu ponto de vista é claro...

Luis Augusto disse...

Ei, ei ei..... para com isso.... Não tem que ficar se cobrando desse jeito. Você corre porque você quer, porque você gosta, você não deve nada a ninguém e não tem que ter vergonha se seu tempo é X ou Y.

No final você ainda acabou fazendo o teste e melhorando o tempo, mas se isso não tivesse acontecido não haveria problema algum. É lógico que sempre queremos melhorar, mas tem dia que dá e vai ter dia que não vai dar. Como tudo na vida.

CALMA MENINA !!!!!!!!!
Um beijo e fique tranquila
Luís Augusto

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Já disseram praticamente tudo...

Jacke, faça sempre a "sua" corrida. Com prazer!

Treinar é bom. Melhoramos. Mas terá de ser sempre com prazer, e com prazer vais melhorar os tempos. Se se tornar uma obrigação (melhorar os tempos) então... está tudo estragado e a corrida perde uma mulher maravilhosa que tem de continuar a mostrar que é possível. Com muito prazer Jacke, senão... não tem interesse nenhum.

Reagiste muito bem, e fizeste muito bem ir voltar a fazer o teste. E fizeste. E correu bem! E certamente foi um prazer, certo?

Um beijinho Amiga, e continuação dessa força!

Ana Pereira

LuRussa disse...

Vc é muito determinada ! eu venho aqui para conseguir algum ânimo de você !! adoro seu blog.
bjoss
LuRussa
www.garotinharuiva.blogger.com.br